A Nossa História

Uma história de família

O nosso projecto começa no alojamento Casa da Tia Amália, nasce de uma casa de família, aliás, uma Estalagem.

Contam os mais velhos, tratava-se da Estalagem da Dona Joana, senhora distinta da Vila de Mértola. Por que motivos não sei, um dia, o Senhor José da Encarnação, "Zé do Rio", mestre do "Gasolina", (embarcação que transportava pessoas e bens entre Vila Real de Sto. António e Mértola), meu bisavô, comprou a Estalagem.

Aqui, começa a história da minha família nesta casa.

O Senhor Zé do Rio e a Senhora Amália tiverem quatro herdeiros, a Maria Emília, a Amália, a Antónia e o Manelito.

Tragicamente, este homem empreendedor, morre com pouco mais de 30 anos, mas deixa como herança, esta Estalagem em que hoje se encontram.

Sua mulher, negociante, mulher de trabalho, não deixa morrer o que o marido começou, muito pelo contrário. Se era paragem obrigatória de viajantes, de pessoas da margem esquerda do Guadiana que vinham nos seus cavalos à Vila, continuou a sê-lo.

 

Sim, passavam os homens ficavam os animais, guardados e tratados na estalagem, que ainda existe, e que será a nossa próxima intervenção. Todos os que vinham e iam passavam a ponte barca, faziam também as suas compras na Loja da Dona Amália, hoje, "A Casa Amarela".

 

Por morte da mãe, esta Estalagem passou para a Tia Amália. Tia com quem tenho memórias muito ricas e saudosas, ela e a tia Antonica, ensinavam-me a bordar, cozer, fazer bolinhos da massa do pão e bonecos de trapo, enfim, as melhores memórias que uma criança pode guardar.

 

 

Hoje, eu com a minha família, a neta do Manelito, Manuel Eugénio, que todos conheceram em Mértola, e que estaria radiante com tudo isto, vou manter a tradição e oferecer-vos a melhor hospedagem ao estilo contemporâneo, na guest house - Casa da Tia Amália.

Mertola Antiga.jpg